PERDA DE PROTEÍNA NA URINA – PROTEINÚRIA

PERDA DE PROTEÍNA NA URINA – PROTEINÚRIA

O trabalho dos rins é remover água e sais que estão em excesso no nosso corpo. Eles também evitam que substâncias importantes, como as proteínas, sejam perdidas na urina. Normalmente, os rins perdem até 150mg  de proteínas por dia, acima deste valor, consideramos perda excessiva de proteína, a também chamada PROTEINÚRIA

A maioria das pessoas não apresenta sinais ou sintomas da doença , porém se a quantidade de proteína aumenta, podem haver inchaço no rosto, pernas e abdome, pressão alta,  além de urina amarelada com a presença de espuma

Existem três tipos de proteinúria: transitória (temporária), ortostática (posicional) e persistente (sempre presente)

Intermitente ou transitória: é mais comum, o estresse por febre e exercícios pesados podem ser a causa. Geralmente melhora sozinha

Proteinúria ortostática:  ocorre quando a pessoa permanece longos períodos em pé. Está presente em até 5% dos adolescentes, mas é incomum em pessoas com idade acima de 30 anos. A causa não é conhecida. Ela não é prejudicial e não requer tratamento, geralmente desaparece com a idade

Proteinúria persistente:   ocorre em pessoas com doença renal ou outros problemas de saúde. Exemplos incluem:

  • doenças renais
  • Doenças que afetam o rim, como diabetes mellitus ou hipertensão arterial
  • Doenças que fazem com que o corpo produza em excesso certos tipos de proteína anormais

DIAGNÓSTICO DE PROTEINÚRIA

TESTE DE URINA- A proteinúria é diagnosticada por meio da análise da urina (chamada de urinálise). A urina também deve ser examinada com um microscópio para ver se há células, cristais, bactérias ou outras estruturas alteradas. O próximo passo é determinar a quantidade de proteína que pode ser medido por uma única amostra de urina coletada a qualquer momento ou por uma coleta de urina  por 24 horas (um método mais exato)

Se você tem um diagnóstico conhecido de doença renal ou se já está sendo tratado por proteína na urina, seu médico pode preferir que você colete sua urina por 24 horas para determinar a quantidade de proteína.

Se o seu médico lhe pedir para coletar urina em casa, tente mantê-lo em local fresco, como a geladeira. A urina é geralmente estéril, por isso não contaminará os alimentos em sua geladeira.

EXAME DE SANGUE- O seu médico também pode pedir-lhe para fazer análises de sangue para verificar se os seus rins estão com bom funcionamento (testes de função renal). Estes incluem a medição da uréia  e creatinina e, em seguida, calcular o quanto seus rins estão  trabalhado, com uma fórmula para determinar a taxa de filtração glomerular.

BIÓPSIA RENAL- O seu médico pode recomendar um teste chamado biópsia renal, quando é coletado um pequeno pedaço de rim para posterior análise no  microscópio. A biópsia renal é um procedimento geralmente realizado em hospital, com anestesia local. A maioria dos pacientes pode retomar as atividades regulares no dia seguinte, exceto exercícios ou trabalho pesados.

TRATAMENTO E PROGNÓSTICOS DA PROTEINÚRIA

A proteinúria transitória  e ortostática não são condições prejudiciais e não é necessário tratamento específico.

Pacientes com proteinúria persistente de baixo grau, que não estão relacionados à função renal diminuída ou a uma doença sistêmica, geralmente não apresentam complicações em longo prazo, quando devidamente acompanhada pelo especialista. Muitos nefrologistas usam medicamentos específicos  para reduzir ou eliminar a proteinúria. No entanto, pacientes com proteinúria de baixo grau devem ser avaliados regularmente para se certificar de que não está piorando e que a função renal é estável.

Em pacientes com proteinúria persistente de alto grau, que apresentam diminuição da função renal, a perda de proteína  é  tratada de forma mais intensiva e precoce , uma vez que o paciente apresenta grande risco de evoluir para insuficiência renal terminal, caso o tratamento correto não seja rapidamente instituído.

 

Fonte: uptodate

1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *